NOTÍCIAS

MAPFRE com mais de 700 milhões de euros de lucro em 2017

MAPFRE com mais de 700 milhões de euros de lucro em 2017

Em 2017, a receita da MAPFRE chegou aos 27.984 milhões de euros, representando um aumento de 3,3% em relação ao ano anterior, e os prémios ficaram acima dos 23.480 milhões de euros, representando 2,9% de crescimento anual. O lucro líquido do Grupo foi de 701 milhões de euros, o que apresentando uma queda de 9,7% devido ao custo extraordinário das catástrofes naturais do ano passado, e que exerceu um impacto líquido de 126 milhões de euros no lucro. Isto não inclui o custo assumido pela MAPFRE RE, por ser considerado ordinário das suas atividades.

"Existem muito poucas companhias capazes de encaixar nos seus resultados um risco catastrófico tão extraordinário como o que vivemos em 2017. Para a MAPFRE, isto significou ter que lidar com dois terramotos e três furacões. Fechar o exercício com um resultado acima dos 700 milhões de euros é uma demonstração da capacidade e da solvência da MAPFRE, e da adaptação da nossa estratégia baseada no crescimento rentável, que compensa esse tipo de eventos extraordinários", apontou o presidente da MAPFRE, Antonio Huertas.

Destaca-se a boa evolução do negócio em Espanha, bem como o excelente comportamento da atividade resseguradora, porque apesar das catástrofes, o rácio combinado continua a ser excelente (94,8%) e contribuiu com lucros de 163 milhões de euros. Distinguimos também a evolução da rentabilidade em certos países, como a Turquia, o Peru, a Colômbia e a Itália.

O património líquido situou-se em 10.513 milhões de euros, enquanto os fundos próprios no encerramento de 2017 estiveram nos 8.611 milhões de euros, 5,6% a menos, devido principalmente à depreciação das divisas em relação ao euro (639 milhões de euros). Os ativos totais chegaram a 67.570 milhões de euros.

É importante salientar que o rácio combinado ficou situado em 98,1%, com destaque para a evolução positiva em Espanha e nas áreas regionais da Latam Norte e da Latam Sul. Sem o impacto das catástrofes, o rácio combinado teria ficado em 96,9%, 0,5 pontos percentuais abaixo do ano anterior.

No encerramento de 2017, os investimentos do Grupo chegaram a 49.796 milhões de euros. A maior parte desses investimentos, 55%, corresponde à dívida soberana, enquanto 19,2% são investimentos de renda fixa corporativa e 8,1% está em renda variável e fundos de investimento. É importante sublinhar a qualidade desses investimentos, considerando que 24% do total tem classificação creditícia de AAA, AA ou A, e 64% BBB. Além disso, salientamos os investimentos realizados pelo Grupo em investimentos alternativos em 2017, num total de 292 milhões de euros.

O índice de Solvência II ficou situado em 189,4%, em comparação com 205,6% de junho, com 93% de capital da mais alta qualidade (TIER 1). Essa redução deve-se principalmente à amortização da dívida subordinada em julho, e que foi emitida 10 anos antes. É importante sublinhar que o rácio de solvência mantém uma grande solidez e estabilidade, sustentado numa alta diversificação e em rigorosas políticas de investimento e gestão.

Na Área Regional Ibéria (Espanha e Portugal)

Registou-se um aumento de 3,8%, chegando a 6.960 milhões de euros em prémios. Destaca-se a evolução do negócio em Espanha, que cresceu quase 4%, alcançando os 6.821 milhões de euros, enquanto o mercado registou 0,7% de queda, bem como a evolução positiva do rácio combinado, que melhorou 0,8 pontos percentuais no último ano, chegando a 93,4%. A VERTI atingiu rentabilidade em Espanha, com 75 milhões de euros em prémios e mais de 260.000 clientes.

Fonte: MAPFRE | Seguros Gerais